Após ataques de Bolsonaro, RJ inaugura teste de voto digital


Neste domingo 12, dois municípios no interior do Rio de Janeiro, Silva Jardim e Santa Maria Madalena, realizam eleições suplementares para a novos prefeitos e vices dos municípios. Em meio a ataques do presidente Jair Bolsonaro sobre a confiança das urnas eletrônicas a seus apoiadores, a Justiça Eleitoral do Rio de Janeiro realiza o primeiro teste de integridade do processo eleitoral.  

 Trata-se de uma votação paralela que serve como "contrapova" o número de votos contabilizados pelas urnas eletrônicas. No sábado foram sorteadas as urnas eletrônicas auditadas, em cerimônia também transmitida ao vivo e que contou com a participação de representantes do Ministério Público Eleitoral, da Ordem dos Advogados do Brasil e da própria Justiça Eleitoral. 

 Com a participação do ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e do ministro Luís Felipe Salomão, corregedor da Justiça Eleitoral, o procedimento é transmitido ao vivo ao longo do dia pelo canal do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro no Youtube. 

 A resposta do TSE aos ataques de Bolsonaro 

 Os ataques de Bolsonaro e seus apoiadores à credibilidade das urnas eletrônicas, bem como a defesa do voto impresso, são recorrentes - mesmo após a rejeição da PEC do voto impresso pela Câmara. Estas críticas podem colocar em xeque as eleições do ano que vem, nas quais o candidato de oposição, Luiz Inácio Lula da Silva, é visto como majoritário pelas pesquisas eleitorais.  

 Para rebater os ataques e mostrar que o sistema eleitoral brasileiro é confiável, o TSE lançou uma campanha para mostrar o sistema de segurança das urnas eletrônicas, com diversos esclarecimentos sobre o sistema e medidas para aumentar a transparência. Na quinta-feira, 9, após as manifestações do dia 7 de setembro, Barroso fez um forte discurso em resposta aos ataques e defendendo a segurança do sistema eleitoral brasileiro.